Provoleta: uma delícia para unir amantes do churrasco e dos queijos


O frio dá uma vontade danada de comer queijo. Na verdade, seja qual for o clima, sou louco por um bom pedaço de queijo.

Pode vir logo cedo, no café da manhã, na forma de um belo queijo quente – ou após a refeição, acompanhado de um bom vinho de sobremesa e torradas. E, justiça seja feita, o Brasil tem belíssimos queijos, muitos deles feitos por pequenos produtores. Em escala industrial, não poderia deixar de citar o minas padrão, um dos meus favoritos para sanduíches e burgers.

Pensando no churrasco, imediatamente vem à cabeça: o delicioso queijo coalho e o provolone. A provoleta, tradicionalíssima nas parrillas argentinas e também presente nas uruguaias. Um prato cheio para quem gosta de queijo, a provoleta foi desenvolvida na Argentina por Don Natalio Alba na década de 1940, numa forma de unir a paixão local pelos “asados” ao provolone – um icônico representante da cultura italiana, tão marcante por lá, e que pode ser encontrado na Itália nas formas dolce ou picante.

Basta um belo queijo provolone, azeite, alguma erva (como o orégano, que é tradicionalmente usado) e, se quiser, tomates. Diferente da carne, que deve ficar um pouco fora da refrigeração para chegar perto da temperatura ambiente antes de ir à grelha, retire o queijo da geladeira na hora de grelhá-lo. Vai evitar que derreta antes de virá-lo na grelha. Você pode fazer o processo todo na grelha, mas pode aproveitar o calor das brasas e terminar de derreter, “amolecer”, o queijo dentro de uma panelinha (ou assadeira que aguente calor), perto delas.

Fonte: https://gq.globo.com/